sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

NOSSO AVESSO - Luiz Fernando Veríssimo

Depois das revelações do chef franco-nova-iorquino Anthony Bourdain no seu livro Kitchen Confidential, publicado há alguns anos, muita gente passou a desconfiar do que comia em restaurantes. Aparentemente, aquele mito de cozinheiros fazendo higiene íntima com a sopa antes de mandá-la para a sua mesa não era mito. Pelo menos em Nova York, segundo Bourdain, as cozinhas eram versões revisadas do Inferno de Dante que podiam até incluir o Dante comendo a Beatriz enquanto ela mexia o molho. O livro foi um “succès de repugnance” nos Estados Unidos e deve ter contribuído para aumentar a onda de restaurantes com vitrine dando para a cozinha, para mostrar que não há nada a esconder. O que é uma pena, porque o contraste entre cozinha e salão faz do restaurante uma boa metáfora para a divisão de tudo - inclusive a gente - entre bastidores caóticos e frentes enganosas.

Você e eu também temos a personalidade que aparece e os seus fundos, e quem vê nossa cara (que é o nosso avesso, como escreveu a Clarice Lispector) nem sempre adivinha a confusão que tem lá atrás. Os pratos voando, o xingamento, a fumaça. Por trás de cada ato e cada frase dita há uma engrenagem oculta e todo o mundo é só a ponta visível do seu próprio iceberg, cuja extensão pouco varia, seja você intelectual ou manicure. A cara que apresentamos aos outros é como o prato que chega bem montado na mesa, sem vestígio do turbilhão em que se originou. Se os outros vão aceitá-lo ou mandá-lo de volta à cozinha é outra história.

Você não gostaria de saber o que há por trás desta crônica, por exemplo. Seus bastidores não são nada atraentes. Minha aflição com o prazo de entrega, a sonolência porque ontem não dormi muito bem, todos estes livros empilhados que não consigo arrumar, o que dirá ler, desde o século passado, a velhice chegando, o gás acabando, o Internacional desse jeito... Não interessa. A crônica tem que sair na hora certa, com a coerência possível. Não dá nem para acrescentar uma nota de pé de página, explicando as circunstâncias de um mau texto e pedindo a indulgência do leitor. Vale o que aparece, sem desculpas. Esse iceberg só tem ponta.

Uma peça de teatro ou um filme também são como o salão de um restaurante, o resultado apresentável de uma retaguarda cuja complexidade e desorganização nem se imagina. A cozinha com vitrine equivale à incorporação dos bastidores à peça, a todo filme ter junto o seu “making of” e ao turbilhão interior de cada um estar na cara.

O que não é totalmente ruim. Existe um certo prazer estético em conhecer o outro lado, como o avesso de uma tapeçaria em que se vê o mesmo desenho da frente mas com as costuras e as sobras de linha à mostra - e que muitas vezes tem mais caráter do que o lado certo. Caráter, afinal, é isso: costuras e sobras de linha aparecendo. Inclusive as nossas.

Mas prefira não enxergar a cozinha. Não importa o que o cozinheiro esteja fazendo com a sopa.

Romântico Analfabeto

(Da série Poesia numa Hora Destas?!)

E disse o piloto à sua amada

“Eu escreveria seu nome mil vez no céu com o rastro do meu jato, Cecília,

se não fosse tão difícil fazer a cedilha.”

'Segundo o livro, as cozinhas de Nova York eram versões revisadas do Inferno de Dante'

'Você não gostaria de saber o que há por trás desta crônica. Seus bastidores não são nada atraentes'.

MENSALÃO: CORTANDO O MAL PELA RAIZ

O Supremo Tribunal Federal, em um julgamento histórico, aceitou a denúncia contra os 40 acusados que abalaram a política nacional no primeiro governo do Presidente Lula.

Considerando todas as discussões acerca da importância de tornar réus figuras expoentes do Partido dos Trabalhadores e até que ponto esse julgamento vai abalar a popularidade do presidente Lula, é preciso ter a clareza de reconhecer que o mensalão é uma novidade enquanto nomenclatura, haja vista que a prática de compra de apoio político é uma constante no nosso país.

A compra de apoio político deve ser analisada também na perspectiva vertical, político-eleitor, e reconhecer nela a origem dos outros mensalões. A captação ilícita de sufrágio nas eleições não deixa de ser um compra de apoio político específico e voltado para a conquista de um mandato popular.

No interior do Brasil ainda é comum à compra de votos do eleitor em troca de cestas básicas, telhas, cimento, tijolos, exames dos mais variados, dentaduras, etc. A precária prestação de serviços no atendimento à população mais carente é um dos principais fatores da ocorrência dessa conduta ilícita por parte dos políticos brasileiros.

A compra de votos não ocorre nas classes mais pobres apenas. As classes mais abastadas também têm sua parcela de responsabilidade. O apoio político é vendido em troca de um cargo numa secretaria para si ou para família ou contrato da prefeitura com uma empresa, por exemplo. O princípio é o mesmo!

A compra de apoio político pode ocorrer de forma positiva ou negativa. A forma positiva se caracteriza pela troca efetiva do voto no candidato comprador em troca de um bem ou serviço prestado a determinado eleitor que muda o seu voto, deixando de votar no outro candidato mais ainda assim exercendo sua cidadania, ainda que de forma viciada.

Na forma negativa a compra desse apoio ocorre na relação inversa, é o impedimento do eleitor de votar no candidato adversário. O eleitor entrega seu título e seu RG em troca do bem ou serviço oferecido. Essa prática muito comum hoje no interior é muito mais prejudicial à democracia porque retira do eleitor todo o poder como cidadão: vicia a vontade completamente e retira de sua esfera de poder qualquer possibilidade de exercício primordial da cidadania que é o voto. Esse tipo de corrupção eleitoral é um dos grandes responsáveis pelo grande número de abstenções constatadas através dos anos.

A legislação eleitoral brasileira vem sendo modificada no sentido de tornar mais rigorosa a punição da compra de votos, captação ilícita de sufrágio, com a perda do mandato e inelegibilidade eleitoral por três anos.

De nada adianta maior rigorosidade na lei se a justiça eleitoral não é célere o suficiente para imprimir eficácia ao dispositivo legal.

A compra de apoio político deve ser combatida em todas as esferas e em todas as suas manifestações. Para que essa mudança ocorra é preciso dar celeridade e preferência aos processos eleitorais. Em nome da segurança jurídica e da paz social nos municípios os juízes devem decidir o mais rapidamente possível sob pena do resultado final não ter eficácia real. O município baiano de São Francisco do Conde é um exemplo. O prefeito eleito em 2004 tem se alternado no poder com o segundo colocado desde que assumiu a prefeitura no ano seguinte.

Das eleições de 2004 são muitos os processos que ainda não tiveram resolução deixando os municípios cobertos sob a sombra da instabilidade político-administrativa. A instabilidade, além da sensação de impunidade, deixa os municípios a mercê de decisões contraditórias da Justiça Eleitoral, além da descontinuidade dos serviços públicos essenciais como saúde e educação.

A predisposição do combate à prática da compra de apoio político nos altos escalões do poderes Executivos e Legislativos federais, demonstrada pelo STF deve ser encarada por nós cidadãos como exemplo para combates diuturnos e diários em todas as esferas. As eleições municipais de 2008 podem ser um excelente começo.

O mensalão no alto escalão da República é a mera repetição de uma prática histórica no nosso país. O combate a essa prática deve ser feito também pelo Poder Judiciário como um todo, assim como pelo Ministério Público que a cada dia angaria mais respeito por parte da população pelos bons serviços prestados.

A participação popular também deve ser incentivada, seja ela individual ou coletiva. O eleitor pode denunciar abusos e condutas dos políticos através da representação junto ao Ministério Público Eleitoral durante as eleições e fazer uso sempre que necessário e forma responsável da Ação Popular e da Ação Civil Pública, através da representação.

A nefasta prática de compra de apoio político deve ser combatida na sua origem: a compra de votos nas eleições. O político que comete crimes de natureza eleitoral e continua impune ou tem uma pena insignificante, vai reproduzir em todos os ambientes políticos por onde passar essa mesma prática, só que de forma invertida, vendendo o mandato popular que recebeu em troca de influência no poder executivo - cargos, verbas não declaradas e obras. É a famigerada infidelidade partidária, na qual o político sai de um partido de oposição para outro da base.

É apenas o mais do mesmo.

Enfim, para expurgar o mal da política chamado compra de apoio político -o mensalão, deve ser combatido na sua causa principal, a captação ilícita de sufrágio nas eleições como forma de evitar a sua repetição pelos políticos nas esferas políticas por onde passar.


Artigo publicado no site Bahia Notícias(
http://www.samuelcelestino.com.br/).

E SE FOSSE FHC?

Fazendo o papel do advogado do diabo...
Curiosidade de saber como pessoas e partidos que aqui no Brasil apóiam as medidas ditatoriais de Chávez
fossem ou quisessem ser implementados pelo ex-presidente FHC durante seu governo.
Não custa lembrar que lutaram ferozmente contra a emenda da reeleição. E se FHC quisesse aumentar o seu tempo de mandato e a possibilidade de reeleição eterna?
E se FHC apresentasse uma PEC, na qual ele pudesse criar ou extinguir estados e nomear os governadores, sem qualquer interferência do Congresso ou do Poder Judiciário?
E se FHC quisesse ter o poder de nomear administradores locais? Bastaria um decreto para nomear prefeitos, principalmente de capitais, ao invés do mesmo ser eleito democraticamente...
E se FHC tivesse poder para decretar estado de exceção no qual o direito à informação ficasse restrito durante tempo indefinido, apenas e tão somente pela vontade presidencial?
E se FHC pudesse desapropriar qualquer imóvel sem o necessário controle judicial em nome do interesse coletivo?
Ainda bem que a Venezuela se manifestou contra a tentativa fascisto-constitucional de Chávez e votou NÃO!!
A Venezuela quer ser o Brasil!!

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

DITADURA x DITADURA

Papel do advogado do diabo...
Situações semelhantes não deveriam ser tratadas de forma semelhante?

Trata-se da análise do tratamento radicalmente oposto que os seres humanos dão para situações que, pela identificação flagrante, deveria ser cuidada senão igual, no mínimo de forma parecida.

A Bahia, durante os últimos anos pelo menos esteve sob o comando de um líder personalista e autoritário, herdeiro da Ditadura Militar. ´

ACM, pela personalidade forte ou pelo modo de fazer política, demonstrou durante sua vida política certas atitudes ditatoriais e anti-democráticas seja na condução do grupo político que liderava ou o governo da Bahia que mandava, tem muita semelhança com o líder afastado Fidel Castro, presidente-ditador de Cuba.

Os partidos de esquerda, como o PT, foram os grandes adversários e perseguidos pela ditadura militar. Muitos dos quadros do partido, hoje ocupando cargos no governo federal e estadual, participaram inclusive da luta armada contra o regime autoritário.

Jovens baianos, militantes de partidos de esquerda, participaram da oposição feroz que se fazia ao carlismo e se criticava - protestando, panfletando - e com razão, algumas decisões de governo carlista que tinham viés autoritário e anti-democrático.

Alguns desses jovens, por intermédio de um acordo do PT com o governo cubano, os envia para o país caribenho para estudar medicina.

Até aí tudo bem, Cuba é um país que adquiriu em alguns ramos da medicina o grau de excelência, e qualquer tipo de intercâmbio - cultural, científico - é bem-vindo.

Mas, e os jovens, como reagem a uma verdadeira ditadura?

Lá em Cuba não existe liberdade de expressão e de imprensa, eleições livres, pluripartidarismo, estado de direito, ou seja, uma ditadura.

Os jovens a que me refiro nasceram ou cresceram durante a abertura política ou já na democracia que nascia. E protestavam e criticavam, com razão, contra as atitudes anti-democráticas do carlismo, já podiam fazer isso.

E Cuba? Existe oposição? NÃO.

Os dissidentes estão presos há anos por serem considerados inimigos ou traidores da pátria.

Milhares de cubanos fogem da ditadura em busca de liberdade.

Aqui, com a democracia, protestos e mais protestos já foram feitos contra aquilo que se achou errado, mas em Cuba é proibido ter protestos, só marchas de apoio ao governo.

Pessoas, peças de teatro, filmes são proibidos em Cuba quando contrariam ou simplesmente, criticam, o regime cubano.

Diante de tais reflexões imperioso se faz perguntar aos estudantes baianos que vão estudar em Cuba:

Se aqui na Bahia vocês lutavam e protestavam contra atitudes autoritárias dos governantes, qual a reação diante da Ditadura Cubana? Alguma crítica ao governo ditatorial? Apóia os dissidentes?

Ditadura de esquerda é melhor que de direita?

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

BRASIL NÃO É VENEZUELA!

Enquanto a Venezuela dá sinais de enfraquecimento institucional com o avanço da Revolução Facista Bolivariana de Hugo Chávez, o Brasil caminha para o fortalecimento das suas instituições e tem demonstrado ultimamente com algumas demonstrações recentes:
  • As decisões elogiadas do TSE e STF sobre fidelidade partidária e a abertura do processo do "mensalão";
  • A divulgação da prestação de contas das verbas indenizatórias, e desnecessárias, recebidas pelos senadores, em nome de uma maior transparência do Senado;
  • O sepultamento da "bolivariana" idéia da possibilidade de re-reeleição para presidente, cujo maior beneficiado seria o atual ocupante do cargo, o presidente Lula.

Além das reiteradas declarações do presidente Lula de negar ser o entusiasta dessa idéia, uma nota conjunta de presidentes de partidos - PT, PCdoB, PMDB, DEM, PSDB, PSB, PP, PSOL, PPS, PSC, PTC - demonstaram uma certa maturidade política dos país e afasta de vez o fantasma chavista do solo brasileiro.

A idéia de re-reeleição estava apenas adormecida no Congresso, já que tinha sido aprovada na CCJ da Câmara ainda em 2002, durante o governo FHC.

Falando em FHC, a idéia da reeleição foi um arranjo político de mudança constitucional para beneficiar o ocupante do cargo na época, o próprio FHC!

A votação da PEC da reeleição está sob suspeita até hoje, não custa lembrar, de pagamento pelo governo federal de 200 mil aos parlamentares para votarem pela aprovação. Ou seja, compra de apoio político, atualmente chamado de Mensalão!

A idéia bolivariana de FHC, que conseguiu prosperar há 8 anos atrás, não teve espaço hoje dentro da atual conjuntura política brasileira.

Enfim, enquanto a Venezuela está em franco retrocesso político-institucional, o Brasil dá sinais claros de avanços democráticos.

EL DITADOR SUPREMO

Hugo Chávez definitivamente entrou para o rol dos ditadores!
A UNE(União Nacional dos Estudantes) da Venezuela está nas ruas protestando contra o golpe "legal" orquestrado legalmente pelo presidente-ditador do país vizinho.
Parte da sociedade venezuelana, não só os estudantes, protesta pela rejeição das reformas constitucionais, aprovadas pelo parlamento dependente e submisso à Chavez, que transforma a Venezuela em uma ditadura.
Abaixo algumas mudanças feitas pelo Hitler Latino:
  • Aumento do mandato presidencial de 6 para 7 anos.
  • Possibilidade de reeleição eternamente.
  • Nomear interventores em áreas consideradas por ele, Chávez, de segurança nacional.
  • Desapropriação sem necessidade de autorização judicial.

As manifestações dos estudantes, chamados de traidores da pátria e filhos-de-papai, estão sendo duramente reprimidas pelas SS chavistas. Além de muitos feridos, pelo menos um estudante morreu nas manifestações pela democracia que não se concentram apenas em Caracas, a capital, mas em todas as grandes cidades venezuelanas.

A situação de repressão chegou a tal ponto que os meios de comunicação não-estatais, que ainda resistem, estão sendo pressionados a não divulgar as tais manifestações porque estariam sendo traidores da pátria.

Até antigos aliados não se conformam com a situação, como um oficial do exército do país que foi a público declarar sua oposição à reforma constitucional facista que Chávez quer implementar.

Aqui no Brasil espera-se o posicionamento da UNE brasileira que, por mínima coerência histórica, deve se manifestar no sentido de apoiar os colegas do país vizinho.

terça-feira, 6 de novembro de 2007

PAISAGEM DA JANELA

VÔO DA ASA BRANCA

APRENDENDO COM A DEMOCRACIA NORTE-AMERICANA

As eleições presidenciais de 2000 foram um marco para os Estados Unidos da América. A eleição controversa do atual presidente reeleito George W. Bush tirou do país o título de maior democracia do mundo.
Entre os motivos principais para a perda do título está a influência do governador da Flórida, Jeb Bush, nas eleições do estado impedindo ilegalmente eleitores potencialmente democratas de votar, além do decisão da Suprema Corte que reconheceu como legal uma eleição com várias irregularidades conhecidas.
Mesmo não sendo considerada mais a maior democracia, a história democrática e algumas características do processo eleitoral devem ser considerados, imitados no bom sentido e adaptados pelo Brasil.
Uma característica importante, apesar de ser interna dos partidos, é a realização das chamadas primárias que ocorrem em todos os estados do país. As primárias permitem os correligionários, simpatizantes e eleitores em geral conhecer as principais propostas e opiniões dos ainda pré-candidatos a presidência.
A eleição presidencial só ocorrerá em novembro de 2008, todavia as discussões e movimentações internas dos partidos já acontecen há meses, inclusive com debates públicos e televisionados em nome da transparência de idéias e propostas.
As primárias e a campanha interna dentro do partido se relaciona com outra característica importante da democracia norte-americana, que é a arrecadação para financiamento das pré-campanhas que já acontecem há meses, muito mais de um ano antes das eleições.
No Brasil também ocorrerão eleições em 2008, para prefeitos e vereadores, entretanto as movimentações em torno do financiamento de campanha já ocorrem de forma velada, nos bastidores. Deveria ocorrer como nos EUA, onde nesse sentido é mais transparente: os partidos apresentando os candidatos, debates e contas-corrente abertas para receber recursos de pessoas físicas e jurídicas que financiarão as campanhas do ano que vem, de forma legal e transparente.
Apesar da democracia norte-americana está em declínio em alguns aspectos, como perda de direitos individuais, sequestros de "terroristas" pelo mundo e, principalmente, torturas e maus-tratos aos prisioneiros
mulçumanos, condenados à revelia da justiça daquele país - nas prisões de Guantánamo e Abu Grahbi - o Brasil pode aprender com a histórica democracia norte-americana.

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

PREFIRO NÃO COMENTAR!?!?

ELEIÇÕES NA ARGENTINA

Segundo dados oficiais, divugados pelo jornal Clarín.com, a primeira-dama Cristina Kirchner é a primeira mulher eleita presidente da Argentina.
A vitória dela, confirmada, é resultado do governo do marido que tirou o país da terrível crise econômica que se abateu até 2001. Apesar de várias críticas sobre congelamento de preços, inflação e limite para exportações, além de denúncias de corrupção.
Cristina, primeira-dama e ex-senadora tem a sua própria carreira política e é considerada pelos portenhos como melhor oradora e até melhor política que seu marido.
Com 37,47% das urnas apuradas até agora, Cristina tem 43,1%, Elisa Carrió - sua principal adversária - 20,5% e Roberto Lavagna tem 19,4% disputando os dois últimos o segundo lugar.
Na Argentina para vencer no primeiro turno o candidato precisa de mais de 40% dos votos válidos.

sábado, 27 de outubro de 2007

SALVA AZEREDO, SALVA A CPMF

O processo aberto contra o senador Eduardo Azeredo(PSDB/MG) foi arquivado pela Mesa Diretora do Senado onde o governo tem maioria.
O PSDB, em retribuição, vai aprovar a CPMF no Senado. Mas, antes, vai se utilizar desse espaço de negociação aberto pelo governo para aprovar junto algumas modificações no imposto do cheque, além de exigir a reforma tributária. Além de se tornar bandeiras para as eleições em 2008 e 2011.
Eduardo Azeredo é ex-governador de Minas Gerais e na campanha para se reeleger em 1998 criou o valerioduto com a ajuda de Marcos Valério.
José Serra e Aécio Neves são os dois pré-candidatos do PSDB a presidência e ambos querem ter os recursos da CPMF caso assumam o governo federal.

BRASIL NÃO É VENEZUELA!

O presidente Lula, durante as comemorações do seu aniversário de 62 anos, descartou de forma enfática a possibilidade de mudança na Constituição para permitir a re-reeleição de prefeito, governador e presidente.
Ricardo Berzoini, presidente do PT, também descartou a descabida idéia.
Os autores dessa proposta são dois deputados federais, um do PT e um do PTC.
Esse não é o tipo de mudança que o Brasil precisa, aliás, o fim da reeleição seria uma boa idéia.
Ainda bem que Lula não é Chávez, e o Brasil não é a Venezuela!

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

PREFIRO NÃO COMENTAR!?!?


CINE IV

(A sala de cinema)
Falando em ditadura, a sugestão chama-se Uma Mulher contra Hitler, indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro em 2006.

Conta a história de Sophie Scholl, única mulher em um grupo de jovens que fazia parte da resistência ao nazismo chamado Rosa Branca.

O filme alemão recupera parte da história ao mostrar que uma pequena parte do povo alemão não concordava as idéias do nazismo e lutava contra a ditadura instalada no país.

Vale a pena assistir toda a película, em especial as cenas de debate entre os nazistas e os jovens.

VENEZUELA LIBRE!

Estudantes e sindicalistas venezuelanos tomaram as ruas da capital Caracas contra as investidas ditatoriais do presidente Hugo Chávez!

Desde que chegou ao poder, pela via democrática, Chávez vem remodelando o Estado venezuelano de acordo com seus interesses. A Venezuela está nas mãos do ditador:

1. O Congresso e o Poder Judiciário estão nas mãos do presidente.

2. Todos os juízes da Corte Eleitoral(CNE) foram "indicados" pelo presidente.

3. A RCTV, principal emissora do país, foi fechada acusada de conspiração e golpismo.

4. Todos os meios de comunicação estão proibidos de fazer qualquer crítica ao governo.

5. Além de aumentar seu mandato de 6 para 7 anos, o ditador pode se reeleger eternamente.

6. O presidente já ameaçou intervir militarmente na Bolívia e Equador, se a presidência de seus aliados - os presidentes Evo Morales e Rafael Correa, respectivamente - estiver de alguma forma ameaçada.

Chávez é o novo Hitler!

Hitler, assim como Chávez, tentou dar um golpe, foi preso e depois, democraticamente, chegou ao poder. Da mesma forma que colocou o Estado alemão aos seus pés e se tornou uma das figuras mais odiadas da história. O alemão também interviu, não só ameaçou, em países como a Áustria, depois a antiga Tchecoeslováquia para então deflagrar a II Guerra Mundial invadindo a Polônia.

Toda a miséria - guerra, extermínio em massa - causada por Hitler teve como sustentáculo o ideal Nazista, ou o nacional-socialismo, que se sobrepunha a tudo e a todos.

Chávez está implantando uma ditadura na Venezuela em nome do ideal chamado Revolução Bolivariana!
Foto: El Pais(EFE)

terça-feira, 23 de outubro de 2007

APENAS O MAIS DO MESMO

O site BAHIA NOTÍCIAS, do jornalista Samuel Celestino, acaba de divulgar que a base aliada do governo está em crise.
A liderança de Waldenor Pereira(PT) foi contestada agora há pouco pelo deputado Capitão Tadeu, do PSB, partido aliado do governo na Assembléia.
O líder do governo suprimiu, a princípio sem nunhum motivo plausível, o horário do PSB dedicado às lideranças. O deputado então, como representante da legenda e indignado com o ato autoritário, decidiu que iria, sim, falar.
Se o simples fato de retirar o direito de expressão já é um atentado à liberdade, o pior foi a ameaça expressa feita pelo líder que, se o deputado desobedesse a ordem emitada pelo déspota, ele seria desligado da bancada.
Criada a situação, constrangedora e vergonhosa, o deputado resolveu ir à tribuna e abrir o verbo: "Irritado, Tadeu foi até a tribuna e num discurso raivoso gritou, para delírio da oposição, que a bancada governista vem se comportando da mesma forma como os carlistas nas legislaturas passadas: com autoritarismo. Disse que não se importa de ser expulso, porque o governador Jaques Wagner não tem nenhuma ingerência em seu mandato. "Mas vou continuar apoiando o governo", ponderou, para em seguida morder: "A Bahia não mudou. Continua com as mesmas práticas. Não vou cumprir ordens. Fiz isto durante 17 anos na Polìcia Militar. Me dá asco ver o que está acontecendo aqui".(Ver site BAHIA NOTÍCIAS)
As palavras do deputado aliado ao governo dizem tudo!

HIDRO PICARETAGEM

O site G1 publicou hoje uma notícia interessante, saída da diretamente da Câmara dos Deputados.
96 apartamentos funcionais serão reformados, até aí tudo bem, porque o patrimônio público deve ser conservado. Ao ler o edital de licitação para a reforma, no entanto, comecam a aparecer os absurdos.
Os apartamentos reformados ganharão banheiras de hidromassagem e triturador de alimentos.
As banheiras, segundo o edital, devem ser de uma marca determinada e custam individualmente R$ 2.869,15. O total gasto só com as banheiras seria(ou será) de R$ 274.438,40.
Cada triturador custa R$ 1.788,88. O total gasto seria de R$ 171.732,48.
A reforma total nos apartamentos tem previsão de gasto de R$ 36,2 milhões, mas pode chegar a R$ 55 milhões.
Perguntar não ofende: A Câmara dos Deputados quer, com essa iniciativa, competir com o Senado Federal para descobrir qual das duas casas terá maior rejeição popular?
Foto: site G1

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

PREFIRO NÃO COMENTAR!?!?


PAISAGEM DA JANELA

THE ANSWER IS BLOWIN' IN THE WIND...
"...HOW MANY TIMES MUST A MAN LOOK UP
BEFORE HE CAN SEE THE SKY ?
THE ANSWER MY FRIEND IS BLOWIN' IN THE WIND
THE ANSWER IS BLOWIN' IN THE WIND..."
"...Quantas vezes deve um homem olhar para cima
Antes que ele possa ver o céu ?
A resposta meu amigo, está soprando vento
A resposta está soprando no vento..."
Blowin' in the wind - Bob Dylan

TROFÉU ABOBRINHA


(Essa é mais uma seção do blog. O título fala por si)

"Quem está na oposição faz bravatas".
Frase proferida pelo Presidente Lula(PT). O tema em questão é a CPMF, que na oposição, o partido do Presidente fazia oposição ferrenha e aguerrida. Hoje no governo o PT diz que a receita obtida pelo imposto do cheque é imprescindível para o país.
Em qual dos dois discursos devemos acreditar?

O 3º Troféu Abrobrinha vai para o Presidente Lula.

A DISTÂNCIA ENTRE GOVERNO E OPOSIÇÃO

O governo do PT, estadual e federal, vem demonstrando de várias formas a diferença de comportamento quando um partido está na oposição e na situação.
Regionalmente falando, a eleição para o próximo conselheiro do TCE é uma prova cabal da discrepância entre discurso e prática. A mesa diretora da Assembléia decidiu, por maioria, impedir a candidatura da oposição de acordo com uma interpretação leviana da Constituição da Bahia.
A atitude despótica superou, e muito, o comportamento dos carlistas quando ainda estavam no poder. Os oposicionistas já decidiram que vão à Justiça para garantir a candidatura do deputado Roberto Muniz(PP).
Uma das bandeiras do partido sempre foi a independência entre os poderes, ou tecnicamente falando, das funções administrativas: o Executivo, o Legislativo e o Judiciário.
O governo da Bahia conseguiu reduzir a oposição no parlamento a apenas 13 deputados estaduais. É um número tão insignificante que impossibilita até a instalação de uma eventual CPI. Nunca a oposição baiana esteve tão reduzida, apesar de ter saído das urnas com um bom número de representantes.
Um partido que passou para a base governista, inclusive ganhando parlamentares e não se sabe a que preço, foi o Partido da República(antigo PL) que sempre foi aliado do DEM no estado. Até quando vai durar a aliança só o tempo dirá.
Esse é o lado ruim da distância entre o discurso na oposição e a prática no governo.
O lado bom, de outra forma, ocorre quando, ao chegar ao governo, o partido percebe que tamanha vai ser a irresponsabilidade administrativa, e política, se realmente seguir o discurso que proferiu durante a oposição.
O governo Lula é um exemplo claro da mudança, desde a Carta ao povo brasileiro, no que se refere à condução da economia brasileira. É certo que Lula manteve a cartilha do governo FHC, um pouco diferente, mas manteve.
É de fácil percepção a manutenção dos mesmos fundamentos econômicos, quando se observa que o Presidente do Banco Central, Henrique Meireles, eleito Deputado Federal pelo PSDB de Goiás em 2002, é hoje um dos mais próximos ministros ao presidente Lula.
A boa condução da economia, e o fraco discurso do PSDB, fizeram com que os eleitores - o que ficou comprovado em recente pesquisa - esquecessem que a estabilização da economia foi uma conquista tucana, e não petista.
Mais duas situações demonstram a distância entre estar no governo e na oposição: a privatização das estradas brasileiras por empresas estrangeiras(a palavra privatização e demônio eram sinônimos para o PT) hoje são defendidas e até comemoradas pelo presidente Lula; na Bahia, a tão combatida vinda da Ford para Camaçari, será da mesma forma comemorada pelo governador Jaques Wagner e pelo presidente Lula, ambos do PT.
Quando a privatização deixou de ser ruim para o Brasil?
E a quanto a Ford, quando a empresa deixou de ser o monstro que ia sugar os recursos da Bahia para se tornar parceira do governo? Inclusive, o governo estadual promete novos investimentos para ampliar as operações da empresa automobilística.
Como a oposição deve agir? Contra tudo que o governo propuser mesmo sendo um projeto que trará benefícios para a população?
Quais os limites de um discurso oposicionista? Quando ele passa a ser demagógico?
Com a palavra, os políticos!

CUBA

Cuba é um país singular nas Américas, seja pelo sua história recente, seja pelo seu presente obscuro e pelo seu futuro mais obscuro ainda.
Os cubanos foram durante a Guerra Fria, um dos principais atores secundários do tenso período no qual o mundo esteve mais perto de se auto-implodir. Basta lembrar fatos como a crise dos mísseis e a invasão da Baía dos Porcos.
Fidel Castro, com amplo apoio popular, derrubou a ditadura de Fulgêncio Batista que representava os interesses estadunidenses no país caribenho.
Após a derrubada da ditadura e a espera pela democracia, o que aconteceu foi a instalação de um regime - ditatorial - nos moldes de Moscou e com total apoio da União Soviética que conseguiu um aliado comunista no quintal dos EUA.
Desde então, os Estados Unidos impuseram ao país um embargo econômico como forma de isolá-lo política e economicamente que está perto de completar 50 anos.
Cuba viveu relativamente bem durante a Guerra Fria, mesmo com o embargo dos EUA, até a queda do muro de Berlim e o fim da URSS, seu principal parceiro comercial.
Fidel Castro não é mais o mesmo. Há um ano, entregou interinamente(definitivamente, para muitos analistas) o poder ao irmão Raúl e desde então não aparece em público. Por esse motivo, a notícia da suposta morte do ditador cubano é recorrente desde então.
A imprensa tem noticiado que a fuga de cubanos para os EUA tem crescido, principalmente depois que 1 ano se passou do governo de Raúl e que se esperava uma abertura que não aconteceu. O México agora também se tornou passagem para os cubanos, que tem melhor tratamento na fronteira que todos os outros hermanos latinos que tentam chegar aos EUA.
Os cubanos aproveitam também competições internacionais, como o PAN que ocorreu no Rio esse ano, para fugir da ditadura caribenha. Uma questão ainda não muito bem explicada ocorreu quando 2 boxeadores cubanos abandonaram a delegação para tentar fugir para a Alemanha. Eles foram deportados de volta à Cuba, presos, por um avião da Venezuela.
O
incidente da fuga dos boxeadores teve mais um capítulo recentemente. Deputados Federais, membros da Comissão de Relações Exteriores, tiveram seus vistos negados por Cuba para visitar oficialmente os boxeadores. Com base em informações oficias da Embaixada brasileira no país, os boxeadores estão abandonados, além de estarem sendo perseguidos pelo governo cubano.
O caso dos boxeadores tem um elemento interessante. Um dos deputados federais proibido de entrar em Cuba é Fernando Gabeira(PV/RJ) que também está proibido de entrar nos EUA por ter sequestrado um embaixador americano durante a ditadura militar no Brasil. Como o mundo dá voltas...
Dá tantas voltas que o mundo foi surpreendido com uma declaração, por escrito, do ditador Fidel Castro em virtude das "eleições" municipais que acontecem em Cuba. Eleições essas que não tem campanha, não tem candidatos, nem debates porque os futuros eleitos já foram escolhidos pelo único partido oficialmente reconhecido, o Comunista, e o povo só precisa "ratificar" a vontade do partido.
Fidel durante o "processo eleitoral" surpreendeu quando pediu, ou exigiu, dos EUA o fim do embargo econômico à Cuba.
Os EUA têm como foco principal o Oriente Médio e as reservas de petróleo, não esquecendo do terrorismo internacional. A falta de atenção com Cuba e a América Latina, de uma forma geral, já foi motivo de críticas dentro e fora do país.
O que Fidel quer sinalizar com essa declaração? Alguma possibilidade de abertura política(leia-se democracia) antes do ocaso do ditador? E o apoio financeiro da Venezuela, com seus petrodólares, não estão sendo suficientes?

A situação política em Cuba presente é uma iinterrogação, e a futura é uma incógnita!

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

CINE IV


(A sala de cinema)

Fahrenheit 9/11 ou Fahrenheit 11 de setembro !

Nesse documentário do controvertido e polêmico cineasta Michael Moore são discutidos vários temas aos norte-americanos: as ligações da família Bush com os Bin Laden e a Arábia Saudita, os votos do estado da Flórida que decidiram a eleição de 2000, os motivos apresentados para a Guerra no Iraque, etc.

Todos os assuntos são apresentados de forma irônica e interessante.

O cineasta também já publicou livros como "Stupid White Men" e "Cara, cadê o meu país?", além de outro famoso documentário "Tiros em Columbine".

A DIPLOMACIA DOS EUA

(Fonte: AFP)
A foto acima é a prova cabal da desencontrada política da diplomacia estadunidense, ou mesmo, a falta de diplomacia.

Segundo reportagem do site G1, a embaixada norte-americana, que está sendo construída na Zona Verde, é gigante em todos os aspectos.

Para ter uma idéia da dimensão do erro, o prédio, que ocupa uma área de 400 mil metros quadrados é seis vezes maior que o complexo da ONU em Nova York e tem o custo estimado em mais de 500 milhões de dólares, uma fortuna.

A construção do "Mega bunker de Bagdá", como está sendo chamada a embaixada, está cercada de críticas da oposição Democrata e de políticos iraquianos.

Em entrevistas à jornais e agências internacionais, os criticos são unânimes ao falar que o prédio servirá para tudo, menos para a diplomacia.

A invasão ao Iraque teve como pretexto a suposta ligação do regime de Saddam, ex-aliado dos EUA, com os atentados de 11 de setembro, o que nunca ficou provado. Da mesma forma que nunca foram encontradas as supostas armas de destruição em massa.

Os EUA, na realidade, invadiram o Iraque com o propósito de controlar o comércio de petróleo do país. A estreita ligação da família do Presidente Bush e do vice Dick Cheney com empresas petrolíferas não é segredo. Empresas que são, não por acaso, as maiores financiadoras das campanhas eleitorais daqueles.

A construção da mega embaixada pode ser também a tentativa dos EUA de reafirmar sua posição de potência mundial no Oriente Médio, lugar de permanente visibilidade em consequência da eterna instabilidade política do lugar.

Apesar dos EUA ainda serem a maior potência bélica e econômica, aos poucos a União Européia e a China, com seu crescimento de 10% a.a, vem diminuindo lenta e gradualmente a influência norte-americana no resto do mundo.

A ESCOLHA PELA FIDELIDADE

O TSE optou pela fidelidade partidária. Talvez seja mais um sinal do fortalecimento do Poder Judiciário e do amadurecimento da jovem democracia brasileira que vem acontecendo através da maior participação popular.
A decisão do Tribunal Eleitoral, que optou por ampliar a fidelidade partidária para os cargos majoritários, caiu como uma bomba em cima de senadores, governadores e prefeitos.
Alguns partidos já decidiram que vão correr atrás do prejuízo e tentar reaver os mandatos, entre eles o DEM, PSDB e PPS. Não por acaso, os mesmos partidos que foram ao STF retomar os mandatos dos partidos dos parlamentares no dia 4 de outubro.
Não se sabe a extensão da decisão, ou seja, a partir de que momento passará a decisão a ter eficácia. Hoje, no entanto, alguns senadores estão se sentindo ameaçados, assim como milhares de prefeitos Brasil à fora que , com a eleição dos novos governadores em 2006, migraram para partidos da base de apoio desses governantes.
Há dois casos emblemáticos. O do prefeito de Porto Alegre, José Fogaça que saiu do PPS e foi para o PMDB, seu antigo partido. O prefeito de Salvador, João Henrique, também foi para o PMDB, egresso do PDT, partido que já decidiu retomar o mandato do prefeito da 3ª capital do país.
Falando em PMDB, pelo menos 100 prefeitos na Bahia passaram a integrar os quadros do partido depois das eleições 2006.
O julgamento do TSE ontem foi relativo à uma consulta de um deputado federal do PT do Acre. A resposta da consulta não possui efeitos imediatos, apenas vai servir como diretriz para o TSE e TREs em futuros julgamentos.
É provável que essa decisão seja submetida ao crivo do STF, que pode ou não confirmar a decisão da Corte Eleitoral. Espera-se que o Supremo mantenha a decisão e impeça a promiscuidade dos políticos de forma geral.

terça-feira, 16 de outubro de 2007

TUCANOS EM 2010

A pesquisa CNT/SENSUS divulgada ontem mostra três tucanos nas primeiras colocações na disputa presidencial de 2010. São eles, na ordem: José Serra, Geraldo Alckmin e Aécio Neves.
Serra é hoje o tucano com maior visibilidade no cenário político brasileiro por governar o mais rico estado, São Paulo.
Alckmin está em segundo lugar, já que foi o candidato derrotado em 2006. Pode chamar de memória eleitoral.
Aécio governa Minas Gerais pela segunda vez. Só pode se candidatar ao Senado ou a Presidência. Ainda é deconhecido de grande parte dos brasileiros e poderia contar com um eventual de Lula caso fosse para o PMDB.
A eleição de 2010 será sui generis. Será a primeira vez que Lula não estará na disputa, participando como grande eleitor.
Foi Lula mesmo quem deflagrou a longínqua eleição presidencial ao falar na possibilidade de disputar novo mandato em 2014 e afastar qualquer possibilidade de uma re-reeleição em 2010.
Eis alguns postulantes à Presidência pela base aliada: Jaques Wagner(PT), governador da Bahia; Dilma Roussef(PT), ministra da Casa Civil; Tarso Genro(PT), ministro da Justiça; Ciro Gomes(PSB), deputado federal e Nelson Jobim(PMDB), ministro da Defesa.
As eleições municipais em 2008 servirão para mostrar as forças do governo e da oposição. Da mesma forma que será o primeiro grande teste para as alianças do lado governista e oposicionista.

MAJORITÁRIA INFIDELIDADE

Está marcada para amanhã a sessão no TSE que irá decidir sobre a fidelidade partidária aplicada aos cargos majoritários: prefeito, governador, senador e presidente.
O TSE decidirá se a regra aplicada aos cargos proporcionais - vereador, deputado estadual e federal - valerá também para os m
ajoritários. A regra diz que se o político migrar para outro partido, seu partido de origem poderá reaver o mandato.
As repercussões, em caso de confirmação, serão devastadoras. A começar pelos senadores, antes oposicionistas, que estão se abrigando no governo. Assim como para milhares de prefeitos pelo Brasil que migraram para partidos da base dos governadores eleitos em 2006. Só na Bahia, pelo menos 150 prefeitos, dos 417 municípios, trocaram de partidos para se aliarem ao novo governo.
Se o TSE decidir pela tese da fidelidade, não se sabe ainda de que forma os partidos de origem poderão reaver seus mandatos, justamente por se tratar de cargos majoritários que exceto os senadores, estão no poder executivo administrando cidades e estados.
Espera-se, no entanto, que o Tribunal Eleitoral
reafirme a tese, até porque, não existe "meia" fidelidade.

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

OS 4 SENADORES INFIÉIS

Amanhã mais um senador eleito pelo Democratas trocará de partido, será o 4º senador a deixar o partido mais virulento de oposição para se abrigar na base aliada.
O primeiro infiel foi o senador César Borges(BA) que migrou para o PR, já na condição de presidente regional da legenda na Bahia. Vale ressaltar que ele foi nomeado mandatário do partido antes mesmo de assinar ficha de inscrição no novo partido.

O motivo alegado para a infidelidade foi a falta de espaço no partido, o mesmo argumento utilizado pelos outros neogovernistas.

Edson Lobão(MA) foi para o PMDB e o paulista Romeu Tuma foi para o PTB. O segundo já estava com um pé na base do governo. Seu filho possui cargo de relevância no Ministério da Justiça.

O último senador, suplente, que vai migrar amanhã para o PR é Ademir Santana. Ele assumiu na vaga do hoje vice-governador do DF Paulo Otávio. O sonho dele é se candidatar ao governo em 2010.

Essas adesões em massa ao governo estão intimamente ligadas com a votação da prorrogação da CPMF, que está para acontecer no Senado, onde o governo não tem uma maioria ampla e segura.

domingo, 14 de outubro de 2007

NOBEL, AL GORE E A PRESIDÊNCIA

A campanha para a eleição presidencial nos Estados Unidos já começou há algum tempo com a apresentação dos pré-candidatos à Casa Branca pelos partidos Democrata e Republicano.
Diferente do Brasil, onde a campanha propriamente dita ocorre nos 3 meses antes da eleição, nos EUA os pré-candidatos dos partidos já constituíram comitê e já recebem doações para a campanha pela indicação interna do partido.
Os partidos Democrata e Republicano, inclusive, já realizaram debates nas televisões, o que vai ajudar os militantes e os eleitores a conhecerem melhor as idéias e os projetos dos candidatos.
O que tudo isso tem a ver com o Prêmio Nobel?
A campanha nos EUA seguia seu rumo com a disputa interna nos dois partidos.
No partido Republicano disputam a indicação o ex-prefeito de Nova York, Rudolf Guiliani, e o senador pelo Arizona Jonh McCain, também ex-prisioneiro de guerra no Vietnã.
Pelo partido Democrata disputam a candidatura o senador Barack Obama, que pode ser o primeiro negro presidente, e na dianteira, com pelo menos 20% de vantagem sobre o segundo colocado, a ex-primeira-dama Hillary Clinton, que pode ser a primeira mulher presidente dos EUA. A senadora por Nova York lidera também no quesito arrecadação.
O ex-vice-presidente Al Gore, candidato derrotado por George W. Bush em 2000, foi o ganhador do prêmio Nobel da Paz 2007 pela sua luta em defesa do meio ambiente, juntamente com o órgão da ONU criado para esse fim.
O ganhador do Oscar de melhor documentário pelo filme "UMA VERDADE INCONVENIENTE", ao receber o Nobel, acaba de se colocar como mais um pré-candidato democrata à presidência, apesar de negar veementemente.
A entrada de Al Gore pode atrapalhar o meio-de-campo democrata que conta os fortíssimos candidatos Obama e Clinton.
Se o ex-vice-presidente entrar na disputa agora, entrará em desvantagem porque todos os outros candidatos, dos dois partidos, já estão na estrada em campanha e com milhões de dólares arrecadados.
O que não deve ser desconsiderado: Al Gore também é um dos maiores aliados de Bill Clinton, que pode vim a ser o primeiro-marido dos EUA.

SAI RENAN, ENTRA CPMF!

O Senado respira aliviado desde quinta-feira quando Renan 007, o senador que espionava, decidiu se licenciar da presidência por 45 dias.
Enquanto a ex-amante do Renan está aproveitando a fama conseguida através do escândalo, e agora também da revista Playboy, o senador está literalmente sozinho porque perdeu o apoio dos principais partidos e foi abandondado pelo Palácio do Planalto para salvar a CPMF.
Os principais jornais comentam que em Brasília a tropa de choque de Renan 007 ainda tenta salvar o mandato, mas a missão nesse caso parece ser impossível.
Renan 007 não volta mais para a presidência, assim como vai ter que entregar a casa, os carros e todos as regalias que possuía quando era presidente.
Quem assume em seu lugar interinamente é o senador Tião Viana(PT). Se tudo der certo, será ele quem irá conduzir a votação da CPMF no Senado, já aprovada na Câmara onde o governo tem ampla maioria.
A votação da CPMF no Senado preocupa o governo que lá não detém maioria, apesar de nas últimas semanas conseguir trazer para a base o senador baiano César Borges(PR) e Lobão(PTB), além de negociações com Romeu Tuma, ainda no DEM.
A relatora no Senado é Kátia Abreu, do DEM, e que já declarou seu voto contra a CPMF com o apoio do seu partido, que também já fechou questão contra a permanência do "imposto do cheque".
Renan 007 fora da presidência do Senado é um problema que sai para dar lugar a outro, que entra, a votação da prorrogação da CPMF.

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

MOVIMENTO FORA RENAN!

50 Deputados e 12 Senadores lançaram ontem o movimento FORA RENAN!
Todos os brasileiros devem participar e apoiar essa campanha para arrancar da cadeira da presidência do Senado e do Senado esse crápula que se declara inocente!

O SENADO CONTRA RENAN

A situação de Renan Super bonder na presidência no Senado Federal está insustentável!
Ele continua sendo presidente de direito, mas de fato não o é há muito tempo. Basta lembrar na reunião conjunta do Congresso Nacional, ocorrida já algum tempo, ele foi proibido pelos deputados de presidí-la.

Na sessão de terça-feira todos os senadores foram que foram à tribuna pediram o afastamento dele da presidência porque a cada dia que passa a imagem da instituição Senado está mais suja perante os brasileiros.

O senador perdeu mais uma batalha na escolha do relator da 3ª representação. O escolhido foi o senador Jefferson Perez(PDT), um dos maiores defensores do afastamento de Renan.

Estimativas de jornalistas de Brasília dão conta que na próxima votação em plenário o presidente Renan teria apenas 20 dos 46 votos que teve na primeira votação, ou seja, a cassação é uma possibilidade que pode se vislumbrar, e esperamos que se realize.
A última do Renan foi contratar araponga para espionar dois colegas goianos seus de oposição: Marconi Perillo(PSDB) e Demóstenes Torres(DEM).
Os senadores do PT Mercadante(SP) e Ideli Salvati(PR), que apoiaram Renan na votação da primeira representação, já se manifestaram publicamente pelo seu afastamento. O primeiro disse, inclusive, que dos 12 senadores do partido 10 votariam pela cassação.
A novela Renan parece chegar ao fim!

SALA DE LEITURA

(Sala de leitura é o espaço da literatura)
Mais uma vez, espaço para sugestão de livros.
O indicado é MAR MORTO, do imortal Jorge Amado.
O livro conta a história do povo do cais do porto de Salvador e Cidade Baixa.
Vale a pena ler!

SALVEM A CASA DE JORGE AMADO

O escritor e imortal itaparicano João Ubaldo Ribeiro é o idealizador de uma campanha que tem como finalidade salvar o acervo da Fundação Casa de Jorge Amado.
São mais de 250 mil documentos do escritor baiano que sintetizou e popularizou o modo de ser do povo baiano, em especial da cultura e religiões negras.

O acervo, que perece por falta de verba, já teve uma oferta da prestigiosa Universidade Harvard que queria levá-lo para os EUA.
Ainda em vida foi desejo de Jorge Amado que seu acervo permanecesse em Salvador, na Bahia.

O Blog, portanto, subscreve a campanha liderada por João Ubaldo Ribeiro:

SALVEM A FUNDAÇÃO CASA DE JORGE AMADO!

PAISAGEM DA JANELA

Pôr-do-sol em Ipirá/BA

sexta-feira, 5 de outubro de 2007

BAHIA, TERRA DA INFIDELIDADE!

A decisão do STF colocou a Bahia no centro das atenções!

A Deputada Federal Jusmari Oliveira, que trocou o DEM pelo PR, foi a única a ser citada pelos ministros na seção como potencial primeira parlamentar a perder o mandato por infidelidade.

A situação não é das melhores justamente porque trocou de partido em data posterior próxima a da decisão do TSE. A infidelidade foi flagrante!

O ex-partido já afirmou, através do presidente nacional Rodrigo Maia(RJ), que vai recorrer ao TSE para reaver o mandato.

O STF decidiu, contudo, resguardar o mandato dos parlamentares que trocarem de partido em 2 siruações excepcionais:
1. O parlamentar sai do partido por estar sendo violentamente perseguido internamente por correligionários.
2. O parlamentar sai porque o partido passa a agir contra o programa, ideologia, diretrizes e história do partido. Nesse caso a infidelidade é do partido, e o parlamentar tem seu mandato resguardado.
A Bahia novamente tem um exemplo na segunda situação. O exemplo de fidelidade vem a ser, no caso, do parlamentar e não do partido.
O Deputado Estadual Sandro Régis do PR esperava a decisão do STF para decidir sobre sua permanência no partido.
O PR(antigo PL) da Bahia tem uma história de apoio, juntamente com o PP, ao DEM(antigo PFL). A aliança entre esses partidos era tão forte que os vice-governadores na chapa do DEM eram do PR.
Depois das eleições 2006, com a vitória do PT e aliados, seria normal esperar que juntamente com o DEM, o PP e outros partidos da coligação que apoiou o ex-governador Paulo Souto(atual presidente regional do DEM) ficassem na oposição.
Foi assim que a sociedade decidiu no dia da eleição!
O PR, contrariando a sua história, negociou sua entrada na base do governo. O Deputado Sandro Régis não aceitou por acreditar, corretamente, que o partido estava na traindo suas bases.
Partido também pode ser infiel! E o STF reconhece essa posibilidade.
A decisão do STF resguarda a posição correta do Deputado que pode trocar de partido, o destino seria o DEM, com a segurança respaldada de que seu mandato será preservado.
"Pense num absurdo, na Bahia tem precedente"
E se o PR - partido dos infiéis - da Bahia recorrer à Justiça Eleitora para reaver o mandato do Deputado Estadual Sandro Régis?
Vai ser o partido dos infiéis querendo o mandato de um parlamentar fiel ao partido, às diretrizes e programas do partido e às bases.
Bahia, Terra da Infidelidade Partidária!

STF DECIDE PELA FIDELIDADE PARTIDÁRIA

O STF decidiu, em sessão histórica, que o mandato pertence ao partido.
A justiça tarda, mas não falha!
Agora cabe aos partidos que perderam os parlamentares a partir do dia 27 de março - Dia da Fidelidade Partidária - acionar o Tribunal Superior Eleitoral(TSE) para reaver os mandatos dos parlamentares - deputados federais, deputados estaduais e vereadores - infiéis.
No processo que será realizado no âmbito do tribunal os parlamentares terão oportunidade de revelar porque trocaram de partido. Muitos devem preferir não falar porque migraram de partido em troca de cargos, verbas e obras.
A tão sonhada reforma política que o Congresso Nacional não fez, por corporativismo, começou a ser feita pelo STF. Escutando os ansieios do povo brasileiro e mudando radicalmente a percepção que nós devemos ter sobre a política, em vários temas entre os quais o papel do povo e dos partidos políticos, o valor da democracia, a importância do Estado Democrático de Direito...
Quem teve a oportunidade de acompanhar as duas sessões percebeu que a importância da liberdade de expressão, da diversidade de opiniões e da pluralidade dos partidos políticos que são valores que nós brasileiros temos que lutar para preservá-los.
A decisão do STF, que teve como escopo a importância institucional dos partidos políticos, vai ao encontro do entendimento do fortalecimento e identificação dos partidos na geléia geral brasileira, como diz o tropicalista baiano Caetano Veloso.
A política, a partir, de agora respira novos tempos.

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

OS INFIÉIS BAIANOS NA BERLINDA

Se o STF corroborar o entendimento do Ministro Celso de Mello e decidir que aqueles parlamentares que trocaram de partido após o dia 27 de março de 2007 podem perder o mandato, pelo menos 16 deputados federais estão nessa situação. Entre eles 2 baianos segundo o Blog do Noblat:
Sérgio Brito (BA) - do PDT para o PMDB no dia 24/09/2007
Jusmari Oliveira (BA) - do DEM para o PR no dia 2/04/2007
A lista pode ser maior se considerarmos os deputados estaduais e vereadores pelo Brasil afora.
Na Bahia, por exemplo, ocorreram várias trocas de partido depois da data acima. Muito em função das negociações entre depuados estaduais e o governo estadual, assim como entre vereadores e prefeitos para os parlamentares passarem a fazer parte da base do governo.
Continuo a acreditar que a Justiça tarda, mas não falha!

27 DE MARÇO DE 2007

O dia 27 de março de 2007 pode entrar para a história como o Dia da Fidelidade Partidária.
O STF está julgando uma questão crucial para a politica brasileira: o mandato pertence ao partido ou ao parlamentar?
Por enquanto a parcial está 2x1 reafirmando a fidelidade partidária.
O ministro Celso de Mello defendeu no seu voto que a titularidade pertence ao partido, sendo que a decisão do Supremo passaria a ter validade a partir do dia 27 de março de 2007, dia que o Tribunal Superior Eleitoral(TSE) decidiu através de Resolução que o mandato pertence ao partido.
De outra forma, o Ministro Eros Grau explanou em seu voto, a impossibilidade de o parlamentar perder o mandato em caso de transmudação, ou seja, troca de partido.
O voto da Ministra Carmem Lúcia declara seu voto no mesmo sentido do Ministro Celso de Mello, por isso acredito que o placar, por enquanto, está 2x1 para os partidos.
Considerando que outros três ministros da Corte, que compõem o TSE e votaram a favor dos partidos, o placar "em tese" é 5x1 para os partidos faltando apenas um voto para formar maioria. Desde que eles acatem a idéia do Ministro Celso de Mello.